top of page
  • Foto do escritorEPM

Programa Universidades


A Mobilidade humana é um tema essencial. Nos deslocamos pela cidade por diversos motivos: escola, trabalho, lazer, esporte etc. Esses deslocamentos podem ser feitos de várias formas: a pé, de bicicleta, via transporte coletivo, transporte seletivo, moto e automóvel são as formas mais usuais.



Nossas escolhas ao longo da história trazem consequências e os atravessamentos são inúmeros. Podemos pensar no planejamento das cidades, na urbanização acelerada, nas formas de transporte mais incentivadas ao longo do tempo, na quantidade de automóveis que circula cotidianamente pelas ruas e avenidas, acarretando muitas vezes em grandes áreas de congestionamento, poluição sonora e ambiental, acidentalidade e por aí vai.


Debruçando-se sobre este último tópico, chega-se aos dados que colocam o Brasil como um dos países em que a violência no trânsito deixa feridos, sequelados e mortos, milhares de pessoas todos os anos.


Se pensarmos na situação global, os sinistros de trânsito matam cerca de 1,35 milhão de pessoas por ano, segundo a Organização Mundial d a Saúde (OMS). Em seu relatório sobre segurança nas estradas, a OMS afirma ainda que os acidentes de trânsito são atualmente a principal causa de morte entre crianças e jovens com idades entre 15 e 29 anos.


Nesse sentido, entende-se como necessária a intervenção do Poder Público, através da criação de projetos e ações estratégicas para frear o número de vítimas em razão dos acidentes de trânsito e pensar estratégias para uma cidade mais inclusiva e acessível, com maior qualidade de vida para todos. O trabalho de educação é um dos pilares para alcançar este objetivo e neste sentido, ter a parceria com as Instituições de Ensino Superior, pode trazer várias possibilidades de tratar esta problemática.




Objetivos


  • Sensibilizar o público alvo em relação à acidentalidade envolvendo este grupo etário;

  • Aproximar-se deste público propondo momentos de troca de saberes e fazeres entre as Instituições, trabalhando por consequência a imagem da EPTC, apresentando os seus inúmeros serviços;

  • Estabelecer parcerias em pesquisas e projetos;

  • Colocar na pauta das discussões no meio universitário a Mobilidade Humana, sensibilizando-os para uma mudança de paradigma e melhora na qualidade de vida da população.


Público-Alvo


Diretamente, a comunidade acadêmica (professores, alunos, técnicos) e indiretamente toda a população, a partir da repercussão do trabalho desenvolvido nesta parceria.




Metodologia


  • Reunião de apresentação do Programa Universidades para os Coordenadores de cursos e/ou professores;

  • Assinatura de convênio com as Instituições sempre que possível;

  • Organização de um cronograma para o semestre/ano letivo;

  • Visitas técnicas às Universidades e das Universidades à EPTC;

  • Palestras vinculadas às visitas técnicas;

  • Desenvolvimento de projetos em parceria;

  • Participação nas semanas acadêmicas;

  • Participação da comunidade acadêmica no Desafio Microrrevoluções Urbanas



Ações a serem desenvolvidas

Ações Permanentes – desenvolvidas durante o ano todo, independentemente de convênios/parcerias preestabelecidos ou temáticas escolhidas:

  • Visitas técnicas às Universidades e das Universidades à EPTC;

  • Palestras vinculadas às visitas técnicas;

  • Inserções nas Semanas Acadêmicas.

Ações Focadas – serão desenvolvidas na temática ou eixo escolhido e/ou conforme convênio/parceria firmado:


OFICINAS

Treinamentos que visam transformar em habilidade, algum conhecimento previamente adquirido.



PALESTRAS

Apresentações sobre temáticas diversas, que são direcionadas ao interesse do curso/disciplina com a qual estamos trabalhando.

  • Mobilidade Humana

  • Observamob e Planejamento Transporte

  • Mobilidade Urbana Sustentável



DESAFIO MICRORREVOLUÇÕES URBANAS

O Desafio surge como proposta de conexão entre a EPTC e as Instituições de Ensino Superior e tem por objetivo fomentar o desenvolvimento de ideias, aqui chamadas de Microrrevoluções Urbanas.

Anualmente abrimos edital para receber ideias da comunidade acadêmica, que são apresentadas e debatidas por aqui, gerando importantes trocas entre poder público e academia.

A seguir as ideias que já passaram por aqui:

 




 

Universidades parceiras


Para mais informações sobre o programa entre em contato




273 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page