top of page
  • Foto do escritorEPM

Primeiro semestre termina com três mortes a menos no trânsito em relação ao ano passado



A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Smmu), por meio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), informa que três vidas foram salvas em comparação ao ano anterior. Em 2021, de janeiro a junho, 34 pessoas morreram em razão de acidentes. Neste ano, 31 - redução de 9%. Já o número de acidentes aumentou 19% e o de acidentes com feridos, 11%. Um alerta, mesmo com o destaque que, em 2021, houve meses em que o isolamento social pela pandemia reduziu drasticamente a circulação de veículos. Os dados completos estão disponíveis no site da EPTC.

Das 31 pessoas que perderam a vida, nove eram pedestres (quase 30% do total). Ainda sobre as mortes registradas em razão de acidentes, 18 (58% do total), foram resultado de ocorrências que envolveram motociclistas: 15 (48% do total de mortos) eram condutores de moto, entre eles sete não eram habilitados e, entre os nove pedestres que morreram em razão de atropelamento, três foram atropelados por motociclistas.

Mesmo com a redução registrada no primeiro semestre, o aumento da acidentalidade alerta para a importância de operações específicas pelas equipes da EPTC. Segundo o diretor-presidente, Paulo Ramires, ações realizadas nas ruas aumentam o senso de responsabilidade e auto cuidado. “A EPTC utiliza os dados dos registros de acidentes, o Programa Vida no Trânsito e número de infrações para planejar ações de educação e qualificar a infraestrutura, com objetivo de reduzir o número e a gravidade dos acidentes", explica Ramires.

Os registros de acidentalidade envolvendo motocicletas e pedestres em Porto Alegre têm alertado para estes grupos de risco e, em razão desses indicadores, as ações de fiscalização e educação da EPTC se intensificaram desde o início de 2022. Diariamente são realizadas operações Pedestre Seguro, que orientam a população para a travessia segura, em locais onde têm faixa de segurança e boa visibilidade. De janeiro até junho foram 277 ações nas ruas da Capital, realizadas com objetivo de reduzir os atropelamentos. Além disso, as operações Duas Rodas também foram intensificadas para reduzir as mortes desse grupo que representa mais da metade das mortes e, entre os que perderam a vida, quase metade não tinha habilitação para conduzir esse tipo de veículo.

Operação Duas Rodas - No primeiro semestre de 2022 (janeiro a junho), a fiscalização da EPTC flagrou 372 motociclistas sem CNH e recolheu 462 motos em 2022. Foram abordados 8.575 motociclistas nas Operações Duas Rodas, 372 deles flagrados sem habilitação. Nas 81 operações, 2.597 motociclistas foram autuados por algum tipo de irregularidade, 462 motos foram retiradas das ruas e recolhidas 56 Carteiras Nacional de Habilitação (CNH) e 709 Certificados de Registro e Licenciamento de Veículos (CRLV).


 

Texto: Gabriela Duarte

Edição: Andrea Brasil




24 visualizações0 comentário
bottom of page