top of page
  • Foto do escritorEPM

Número elevado de acidentes da última semana preocupa gestão da mobilidade na Capital


EPTC reforçou o efetivo nos pontos que oferecem mais risco de acidentes. Foto: Alex Rocha/PMPA

A Secretaria de Mobilidade Urbana (SMMU) e Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) alertam para o alto índice de acidentes com mortes da última semana. O aviso de precaução acontece antes da última semana do ano, ainda no período de festas. Do final de semana iniciado no dia 17 de dezembro até as 6h horas da manhã desta segunda-feira, 26, foram registradas 381 ocorrências de trânsito na capital. Dessas, 147 foram com vítimas, e cinco resultaram em mortes: três atropelamentos e duas ocorrências envolvendo motocicletas.

Os pedestres também precisam estar atentos, uma vez que das 147 ocorrências com vítimas, 18 foram atropelamentos. A EPTC já havia intensificado as ações para prevenir acidentes, mas vai reforçar ainda mais o efetivo nos pontos que oferecem mais risco de acidentes. No entanto, é essencial a conscientização da população.

“Com o Plano de Segurança Viária Sustentável que lançamos recentemente queremos intensificar as ações, mas sabemos que para obter bons resultados é fundamental que todos façam a sua parte assumindo o seu papel de protagonistas em relação a um comportamento seguro”, destaca o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Adão de Castro Júnior.

Mesmo sem os dados completos de dezembro de 2022, o sinal de alerta está ligado, já que 65 pessoas perderam a vida em razão de acidentes de trânsito na Capital nos primeiros 11 meses do ano. O balanço mostra que a faixa etária entre 18 e 25 anos representa o maior registro de mortes: 17 pessoas (26% do total). Os motociclistas e ocupantes de motocicletas somam 33 vidas perdidas, 51% do total. Os pedestres totalizam 14% do registro de mortes (21%), os condutores de automóveis 10 (15%), os ocupantes de automóveis 5 (8%) e os ciclistas 3 (5% do total).

Motociclistas – Em 2022, até novembro, foram registradas 38 vítimas fatais envolvendo motocicletas - 33 motociclistas ou caroneiros, e cinco pedestres. Dos motociclistas mortos, 17 deles não eram habilitados.

Segurança viária - Para auxiliar na redução da acidentalidade, a prefeitura lançou o Plano de Segurança Viária. Ele estabelece diretrizes de planejamento e gestão, com estabelecimento de metas para reduzir a acidentalidade no trânsito. Segue os propósitos de desenvolvimento sustentável definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em sua agenda 2030.

Ações de educação - Neste ano, a Educação para Mobilidade da EPTC já realizou mais de 600 ações educativas, que contaram com a participação de mais de 25 mil pessoas. Dentro das ações, houve atividades específicas para motociclistas, pedestres, ciclistas, idosos, empresas amigas, escolas, entre outros.

Programa Vida no Trânsito - Analisa os acidentes que resultam em morte. O diagnóstico do estudo dos casos apontou que dos 49 acidentes já analisados (dos 64 registrados até novembro), a falta de Carteira Nacional de Habilitação (CNH) regular, o consumo de álcool e o excesso de velocidade são os principais fatores de risco que colaboraram para a gravidade da ocorrência. O PVT é um programa coordenado pelo Ministério da Saúde, com participação das secretarias estadual e municipal de Saúde, Detran e Samu, entre outros.

 

Texto: Rafael Cabeleira e Aline Rimolo

Edição: Gilmar Martins

15 visualizações0 comentário

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
bottom of page