top of page
  • Foto do escritorEPM

EPTC realiza blitz educativa para segurança no trânsito


Cem veículos foram abordados e orientados sobre as normas de circulação e conduta do Código de Trânsito

Na manhã desta terça-feira, 13, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), com apoio da Guarda Municipal, realizou mais uma operação de blitz educativa para conscientizar motoristas sobre a importância da percepção de risco e autocuidado no trânsito. Durante a ação, ocorrida na av. Ipiranga, na Zona Leste da Capital, cem condutores foram abordados e orientados sobre a incidência de atropelamentos com envolvimento do público idoso, assim como os demais índices de sinistros de trânsito, além das normas de circulação e conduta do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

“Temos que trabalhar na conscientização para uma circulação com menos riscos e de mais respeito entre as pessoas. De acordo com os estudos do Programa Vida no Trânsito, o uso de álcool e drogas, imprudência, desrespeito à sinalização, excesso de velocidade e dirigir sem habilitação são fatores presentes em grande parte dos casos de vítimas fatais no nosso trânsito”, destaca Diego Marques, coordenador de Educação para Mobilidade da EPTC.

O balanço da acidentalidade de junho, divulgado esta semana no Observatório da Mobilidade do Portal da Transparência, demonstrou uma redução no número de óbitos em relação a maio, passando de nove para quatro registros, mas um aumento no índice de sinistros de trânsito, com mais de 300 motocicletas envolvidas em um total de 1.038 ocorrências.

Este tipo de blitz tem caráter preventivo e educativo, com o objetivo de conscientizar os motoristas e assim evitar mais vidas perdidas no trânsito. Além da orientação, os condutores que passaram pela blitz educativa receberam um “kit educativo”, com folheto de orientações para um comportamento seguro e uma sacola reciclável com mensagens de sensibilização referente à proteção dos idosos.

Vida no Trânsito - Porto Alegre integra o Programa Vida no Trânsito (PVT), coordenado pelo Ministério da Saúde, e desde 2012 faz a análise de todos os acidentes fatais, com o objetivo de identificar os fatores e condutas de risco que resultaram em ocorrências com mortes. As causas de sinistros de trânsito decorrem, na sua maioria, de ações comportamentais dos usuários das vias (condutores e pedestres). A partir da identificação desses fatores e condutas de risco, como subsídio para as áreas de educação, planejamento e fiscalização, as ações são direcionadas para a redução da acidentalidade.


 

Texto: Gustavo Roth

Edição: Gilmar Martins

Imagens: EPTC/PMPA

16 visualizações0 comentário
bottom of page