top of page
  • Foto do escritorEPM

EPTC divulga balanço de trânsito da Operação Carnaval


As ações de fiscalização no trânsito têm como objetivo coibir excessos e salvar vidas. Foto: Divulgação / EPTC PMPA

Com o objetivo de coibir os excessos no trânsito e reduzir o número de vítimas, a Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Smmu) realizou, por meio da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), mais uma edição da Operação Carnaval. No período entre as 12h de sexta-feira, 9, até as 18h desta quarta-feira de cinzas, 14, foram fiscalizados mais de 22.909 veículos em 38 operações. Deste total, 1.892 condutores foram flagrados ao transitar com velocidade superior à máxima estabelecida para a via, o que demonstra que a grande maioria, 91,8% dos veículos monitorados, obedeceu aos limites máximos estabelecidos. Apesar dos esforços e ações contínuas para minimizar os riscos de envolvimento em sinistros no trânsito, o Carnaval foi marcado por quatro mortes nas ruas de Porto Alegre, que já estão em análise pelo Programa Vida no Trânsito.


O diretor-presidente da EPTC, Pedro Bisch Neto, alerta para o respeito à sinalização e às normas de circulação e conduta do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). “É preciso conscientizar todos os cidadãos sobre a importância do autocuidado e a percepção do risco ao dirigir para conter o número de vítimas em nossas ruas. Os principais fatores que resultam em morte, analisados pelo Programa Vida no Trânsito, são conduzir sem CNH regular, excesso de velocidade e a ingestão de bebida alcoólica”, destaca.


Em uma ocorrência no sábado, 10, um condutor alcoolizado e não habilitado atropelou e tirou a vida de dois pedestres: uma jovem de 18 anos e um homem de 43, na Lomba do Pinheiro, Zona Leste da Capital. No mesmo dia, uma bicicleta se envolveu em um abalroamento com ônibus ao atravessar a faixa exclusiva da avenida Independência, o que resultou na morte da ciclista de 56 anos. Na segunda-feira, 13,  pela manhã, uma condutora de automóvel de 45 anos perdeu a vida após o choque do veículo com uma árvore, na avenida Dr. Nilo Peçanha, próximo da avenida Ipê, na Vila Jardim. 


De acordo com o balanço da EPTC, foram registrados 143 sinistros nas vias da Capital, sendo três com o registro de óbitos, 81 ocorrências somente danos materiais, cinco atropelamentos e 54 que resultaram em pessoas feridas. Em 44 dessas ocorrências, houve a participação de motocicletas.


A tradicional Operação Duas Rodas foi realizada por três dias seguidos. Nas ações, foram flagradas 14 motocicletas com algum tipo de irregularidade, e identificados quatro motociclistas não habilitados. O objetivo da fiscalização das motos é garantir a segurança viária, pois este é o veículo com maior envolvimento nos sinistros de trânsito e mortes.


No entorno da Estação Rodoviária, em uma ação com foco no transporte irregular de passageiros, conjunta com agentes do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) e da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT), realizada na sexta-feira, 9, foram fiscalizados 124 veículos, resultando em 72 autuações por diversas irregularidades, em que foram verificados os itens de segurança e o cumprimento das regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Durante a operação, sete documentos foram recolhidos e dois veículos foram levados para o depósito do DetranRS. Nos veículos que passaram pela abordagem, foram identificadas irregularidades nos pneus, iluminação e características adulteradas, além de estacionamento em local proibido e um condutor dirigindo com a carteira cassada. 


Educação para o trânsito - Os agentes da Escola Pública de Mobilidade da EPTC realizaram ações educativas na rodoviária ao longo do feriado. Durante a atividade, os agentes entraram nos ônibus intermunicipais e interestaduais para reforçar com motoristas e passageiros sobre a importância do uso correto do cinto de segurança. Além da EPTC, participaram da ação ANTT, PRF, Daer e Lions. 


As operações de fiscalização integram as ações do Plano de Segurança Viária Sustentável (PSVS) da Capital e seguem as diretrizes do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans) para reduzir o índice de mortes no trânsito.


Segurança Viária - Para auxiliar na redução da acidentalidade, a prefeitura lançou o Plano de Segurança Viária Sustentável (PSVS), que estabelece diretrizes de planejamento e gestão da segurança viária. Além de seguir os propósitos de desenvolvimento sustentável definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em sua agenda 2030, a implantação demonstra o compromisso da Prefeitura de Porto Alegre com o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans), em salvar vidas e reduzir a quantidade de feridos graves no trânsito da capital gaúcha.


Pnatrans - O Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans) foi instituído em 2018, pela Lei nº 13.614, para orientar os gestores do nosso país a implementarem ações com o objetivo de reduzir mortes e lesões, em alinhamento com a Nova Década de Segurança no Trânsito da Organização das Nações Unidas (ONU).


Vida no Trânsito - Porto Alegre integra o Programa Vida no Trânsito (PVT), coordenado pelo Ministério da Saúde, e desde 2012 faz a análise de todos os acidentes fatais, com o objetivo de identificar os fatores e condutas de risco que resultaram em ocorrências com mortes. As causas de sinistros de trânsito decorrem, na sua maioria, de ações comportamentais dos usuários das vias. A partir da identificação desses fatores e condutas de risco, como subsídio para as áreas de educação, planejamento e fiscalização, as ações são direcionadas para a prevenção de novos acidentes.


 

Texto: Gustavo Roth

Edição: Andrea Brasil

51 visualizações0 comentário

Commentaires

Noté 0 étoile sur 5.
Pas encore de note

Ajouter une note
bottom of page