top of page
  • Foto do escritorEPM

EPTC divulga balanço de acidentalidade dos quatro primeiros meses do ano


Principais fatores de risco no trânsito são a falta de CNH, ingestão de bebida alcoólica e excesso de velocidade. Arte: Divulgação / EPTC / PMPA

O balanço da acidentalidade referente aos quatro primeiros meses de 2023 registrou uma vida salva em comparação ao mesmo período no ano passado. O mês de abril fechou com 19 vítimas fatais, enquanto até esta data em 2022 foram 20 vidas perdidas.

Entre 4.509 sinistros de trânsito, com 2.108 pessoas feridas, foram registradas nove vítimas fatais com envolvimento de motos, sendo um pedestre atropelado e oito condutores. Desses motoristas, três não eram habilitados.

A Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Smmu), por meio da Empresa Pública de Transporte Circulação (EPTC), tem intensificado as ações com o objetivo de diminuir o número de vítimas e de sinistros no trânsito. “As atividades de fiscalização, educação e engenharia de tráfego têm o objetivo de garantir a segurança viária. Mas os indicadores mostram que é preciso conscientizar todos os cidadãos sobre a importância do autocuidado e a percepção do risco ao dirigir para conter o número de vítimas em nossas ruas. Os principais fatores que resultam em morte, analisados pelo Programa Vida no Trânsito, são conduzir sem CNH regular, excesso de velocidade e a ingestão de bebida alcoólica”, destaca o diretor-presidente da EPTC, Paulo Ramires.

O turno com o maior número de mortes é o da noite, das 18h às 23h59, com 14 ocorrências. Os homens representam 63% das vítimas fatais e a faixa etária mais impactada é de 26 a 36 anos de idade, com sete registros.

Entre os feridos, a motocicleta também lidera a estatística, com 1.368 vítimas, entre pedestres atropelados por motos e 1.283 motociclistas. O fechamento consolidado do ano passado mostra que o ano de 2022 terminou com 74 vidas perdidas. O panorama geral da acidentalidade em Porto Alegre está disponível no portal EPTC Transparente.

Segurança viária - Para auxiliar na redução da acidentalidade, a prefeitura lançou, em 2022, o Plano de Segurança Viária. Ele estabelece diretrizes de planejamento e gestão da segurança viária, com metas para reduzir a acidentalidade no trânsito. Segue os propósitos de desenvolvimento sustentável definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU) em sua agenda 2030.

Educação - Além das ações de fiscalização, operações com radar e a Balada Segura, a EPTC promove diariamente iniciativas educativas por meio da Escola Pública de Mobilidade e oferece gratuitamente no portal de ensino à distância, o curso on-line Motociclista Consciente, entre outros direcionados à segurança no trânsito.

Vida no Trânsito - Porto Alegre integra o Programa Vida no Trânsito (PVT), coordenado pelo Ministério da Saúde, e desde 2012 faz a análise de todos os sinistros de trânsito com vítimas fatais, com o objetivo de identificar os fatores e condutas de risco que resultaram em ocorrências com mortes. As causas de sinistros de trânsito decorrem, na sua maioria, de ações comportamentais dos usuários das vias. A partir da identificação desses fatores e condutas de risco, utilizados como subsídio para as áreas de educação, planejamento e fiscalização, a EPTC realiza suas ações direcionadas para a prevenção de novas ocorrências e a redução do número de vítimas no trânsito.


 
Texto: Jaqueline Moura e Gustavo Roth
Edição: Andrea Brasil
30 visualizações0 comentário
bottom of page